Lançamento de "Golpe de Estado planetário"

"Os grandes homens chamam de vergonha o facto de perder e não o de enganar para ganhar".  Nicolas Machiavel (1469-1527)

por Liliane Held-Khawam [*]

Aguardamos um colapso financeiro, mas é um mundo novo que emerge e que varre secamente o antigo.

Nenhuma democracia parece ter os meios de se lhe opor.

Depois de ter demonstrado com Dépossession (Despojamento) a captação dos mecanismos monetários e financeiros, Coup d'Etat planétaire demonstra a fagocitação generalizada das ferramentas e dos processos de produção de bens e serviços, privados e públicos.

Tudo o que produz valor acrescentado sobre a face do globo está em vias de ser apanhado directa ou indirectamente pela infraestrutura supranacional de uma certa elite financeira.

Apoiada por uma tecnologia omnipresente, um sistema-mundo que engloba o conjunto do planeta e dos seus recursos (inclusive os humanos) nos faz passar da era da mundialização àquela da globalização.

A desmaterialização da administração pública e das instituições em geral oferece à nova equipe dirigente a possibilidade de gerir o planeta a distância.

Um império transversal, privado e corporatizado, de novo tipo é cuidadosamente descrito nesta obra (400 páginas), com fontes e também textos de leis, de acordos e numerosos extractos de diversos registos do comércio.

Reforçada por um poder absoluto, pela captação das riquezas produtivas, a nova elite pode muito bem fazer chuva e sol nos quatro cantos do mundo.

O conjunto dos paradigmas que regem a organização da vida sobre a terra está em vias de reestruturação profunda. Depois de ter usado e abusado de um falso liberalismo, a reorganização societal parece prometer ressuscitar o modelo soviético, desta vez em proveito dos privados.

Com aquilo a que chamamos neo-sovietismo, transpomos assim uma nova etapa do sinistro neoliberalismo.

Os detentores dos recursos planetários podem estar orgulhosos do êxito de um projecto hercúleo, que promete o retorno de um feudalismo globalizado e modernizado.

SUMÁRIO
Prefácio de Philippe Bourcier de Carbon
Palavras prévias
Introdução
Parte I: Os senhores da Criação monetária confiscam a indústria mundial
Capítulo 1 – Um novo mundo, uma nova elite
Capítulo 2 – Planeta indústria
Capítulo 3 – Rumo a monopólio sectoriais?
Parte II: Os dirigentes do pós-guerra adornam-se de messianismo a fim de obter um verniz virtuoso
Capítulo 4 – Será que um Estado ainda pode ser soberano?
Capítulo 5 – Às origens, uma mundialização messiânica ancorada no Novo Mundo
Capítulo 6 – Uma aliança anglo-saxónica ancorada na economia mundo
Capítulo 7 – O mundo dos negócios convidado a mundializar a economia
Capítulo 8 – Da mundialização à globalização
Parte III: Os senhores do business capturam a governação dos estados
Capítulo 9 – A face ocultada do desenvolvimento durável
Capítulo 10 – Controle dos territórios e das populações
Capítulo 11 – Política comum dos Estados
Capítulo 12 – O mundo dos negócios, parceiro oficial dos governos
Capítulo 13 – Destruição dos mares sob a bandeira do desenvolvimento duradouro
Capítulo 14 – Confiscos a prever com a revolução societal
Capítulo 15 – Submissão aos organismos supranacionais
Capítulo 16 – O FMI dita a governação dos Estados
Parte IV: Captação dos recursos produtivos públicos, inclusive os humanos
Capítulo 17 – Este liberalismo que mata o mercado
Capítulo 18 – Privilégios públicos perfeitamente anti-liberais
Capítulo 19 – Integração e globalização dos territórios nacionais
Capítulo 20 – Uma nova governação pública inspirada nos nazis
Capítulo 21 – As derivas da gestão pública
Capítulo 22 – Os senhores da finança cobiçam o business público
Capítulo 23 – Uma custosa parceria público-privada não liberal
Capítulo 24 – Corporatização de organismo nacionais e supranacionais
Capítulo 25 – Apropriação e corporatização dos espaços nacionais
Capítulo 26 – Concentração de processos económicos conforme as zonas
Capítulo 27 – Do Estado gestor ao Estado investidor nas mãos da finança global
Capítulo 28 – Rumo a uma ciber-sociedade controlada pelos GAFAM
Conclusão

Disponível no sítio web do editor:
Em euro: reorganisationdumonde.com/produit/coup-detat-planetaire/
Em franco suíço: reorganisationdumonde.com/produit/coup-detat-planetaire/?wmc-currency=CHF
Em dólar: reorganisationdumonde.com/produit/coup-detat-planetaire/?wmc-currency=USD
Atenção: Não trabalhamos mais com a Amazon.

Ver também:
  • Depossession – Comment l'hyperpuissance d'une elite financiere met etats et citoyens a genoux

    O original encontra-se em lilianeheldkhawam.com/...


    Esta nota encontra-se em https://resistir.info/ .
  • 29/Nov/19