Acerca do gasoduto "East Med"

por KKE

Gasoduto East Med. O partido de direita no poder, Nova Democracia, assim como o partido de "esquerda" SYRIZA, o partido social-democrata KINAL/PASOK e o partido de extrema-direita, Hellenic Solution, alinhando-se aos planos dos EUA – NATO – UE – Israel, com os olhos cravados na "subida de nivel" da burguesia grega, em 15 de Maio último votaram todos eles (em sessão plenária no Parlamento mas seguindo procedimentos abreviados) a favor do projecto do gasoduto "East Med".

O acordo foi apresentado sob a forma de um projecto de lei do Ministério do Ambiente e da Energia intitulado "Ratificação do acordo intergovernamental entre a República de Chipre, o Estado de Israel, a República Helénica e a República Italiana sobre um sistema de gasoduto para o transporte de gás natural do Mediterrâneo oriental para os mercados europeus".

O KKE votou contra e denunciou o projecto de lei, revelando o conteúdo do acordo e os mitos euro-atlânticos que o acompanham e sublinhando que este acordo implicará ainda mais profundamente a população num jogo concorrencial visando aumentar a rentabilidade dos grupos de empresas. O KKE advertiu igualmente que o traçado do gasoduto foi efectuado sem considerar problemas de delimitação das Zonas Económica Exclusivas (ZEE) [NR] , o que poderia provocar uma agressão da burguesia turca e ameaça a segurança, a estabilidade da população e a soberania da Grécia.

O partido social-democrata MERA25 do antigo ministro das Finanças do SYRIZA, G. Varoufakis, votou contra o acordo, pois ele exprime os interesses dos segmentos do capital orientados para o chamado "crescimento verde" do capitalismo, preferindo políticas de abandono dos hidrocarbonetos.

"Aderir aos planos do trio EUA-NATO-UE vai complicar as relações greco-turcas"

Na tribune do Parlamento, Giorgos Marinos, membro da Comissão Política do Comité Central do KKE, afirmou:

"Na prática, foi demonstrado que a estratégia visando servir os interesses do capital traduz-se ao mesmo tempo por um ataque agravado contra os direitos dos trabalhadores e do povo e por uma implicação perigosa do país nos planos imperialistas.

Esta orientação está entranhada em toda a política do governo ND e do SYRIZA, assim como na dos outros partidos. Eis porque, apesar das divergências, foi encontrado um acordo sobre os eixos centrais da gestão capitalista e das relações com os EUA, a NATO e a UE.

Uma parte desta política abrange o acordo agora em discussão sobre o gasoduto "East Med" que visa transportar gás natural do Mediterrâneo oriental para a Europa, passando pela Grécia e pela Itália.

A exposição dos motivos do projecto e as posições dos relatores dos outros partidos dissimulam os elementos reais da concorrência actual sobre os recursos energéticos e os gasodutos. Há duas guerras imperialistas em curso na região, na Síria e na Líbia. No Mediterrâneo oriental, os Estados Unidos, a UE, a Rússia e as outras forças militares estão aí posicionadas seguindo um plano específico.

As reivindicações da burguesia turca intensificam-se e o acordo inaceitável entre a Turquia e a Líbia, que adopta coordenadas geográficas análogas às do gasoduto "East Med", foi posto em marcha.

Estes desenvolvimentos são de uma importância crucial e comportam muitos perigos. Na prática, foi demonstrado que quanto maior o empenhamento do nosso país nos planos imperialistas com os Estados Unidos, a NATO e a UE, ou com acordos com Israel, mais se intensifica a concorrência e mais as relações greco-turcas se deterioram. Isto foi demonstrado no passado.

Citarei um exemplo a respeito. Desde Março último o governo empenhou o país na operação Irini ("Paz") da União Europeia na Líbia sob a cobertura da manutenção do embargo às armas. Ao mesmo tempo, enquanto a guerra faz devastações, a Turquia fornece armas às forças de Sarraj enquanto o Egipto e os Emirados Árabes Unidos fornecem armas a Haftar.

Senhoras e Senhores membros do governo,

Os senhores estão em vias de traçar um pipeline sem ter resolvido o problema da delimitação das Zonas Económica Exclusivas, o que pode acarretar situações trágicas.

Tanto a ND como o SYRIZA encorajam a cooperação com o Estado de Israel, que assassina o povo palestino e ainda prepara novas anexações nos territórios palestino graças ao apoio dos Estados Unidos.

Os senhores ignoram as reacções da Autoridade Palestina e do Líbano, as quais denunciam a violação israelense das zonas marítimas, o que dá igualmente um álibi à atitude provocadora da burguesia turca para praticar o mesmo género de violação.

Os senhores saúdam a presença americana reforçada no Mediterrâneo oriental com base no "East Med Act", que o imperialismo americano utiliza para poder estender suas actividades no quadro da sua confrontação com a Rússia e a China.

O gasoduto "East Med" inscreve-se no quadro geral de uma vontade de redução da dependência da UE em relação ao gás russo. Mas a Rússia reagiu e os senhores não prestaram sequer atenção ao facto de que imediatamente após a publicação do acordo "East Med", em Janeiro, as burguesias turca e russa inauguraram o gasoduto Turk Stream visando transportar o gás russo para a Europa.

Os senhores consideram a Itália como um parceiro, mas o governo italiano está em vias de namorar a China, a Rússia e a Turquia.

O emaranhado de contradições e antagonismos imperialistas é muito complexo e toda simplificação conduziria a um impasse.

Independentemente dos problemas técnico-económicos colocados pelo "East Med", é certo que este gasoduto servirá os interesses dos grandes grupos energéticos e de construção e que ele arrastará a Grécia ainda mais profundamente às confrontações imperialistas, aumentando assim os riscos.

Esta é a realidade. E a posição do KKE apoia-se na experiência dos pipelines energéticos que têm sido a fonte de intervenções imperialistas e de guerras tanto na Síria como em outros países. Em Chipre, a presença da Exxon Mobil (EUA), da Total e da ENI (Itália), que agora suspenderam as furações, em nada resolveu o problema da ocupação turca mas ainda complicou mais a situação uma vez que novas negociações actualmente estão em curso com a Turquia.

A posição do KKE apoia-se igualmente na experiência do gasoduto TAP que fornece gás do Azerbaijão à Europa. Os senhores haviam prometido a lua para o gasoduto TAP, mas os benefícios para a população são inexistentes: a pobreza energética permanece as famílias populares pagam a electricidade a alto preço.

Também será assim com o "East Med" e a razão é bem conhecida. Os recursos da riqueza estão hoje entre as mãos dos grupos monopolistas, o Estado burguês e dos seus governos que servem os interesses da classe capitalista. A utilização do potencial produtivo do país necessitaria de mudanças radicais, uma organização da economia e da sociedade orientada para as necessidades ao invés do lucro capitalista, relações internacionais baseadas no benefício mútuo dos povos e desligamento das alianças imperialistas.

O KKE conclama o povo a julgar a situação com critérios exactos e a recorrer à sua experiência, intensificar a luta pelos seus direitos, pelo desligamento do país dos planos imperialistas e a estabelecer bases sólidas para se tornar mestre da sua própria terra".

21/05/2020

[NR] ZZE é um espaço marítimo no qual um Estado ribeirinho exerce direitos soberanos.   Este espaço foi definido pela Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar , assinada em 1982.

A versão em inglês encontra-se em
inter.kke.gr/en/articles/THE-POSITION-OF-THE-KKE-ON-THE-EAST-MED-PIPELINE/


Este artigo encontra-se em https://resistir.info/ .
28/Mai/20