A perseguição a Julian Assange é infinitamente maior que o próprio Assange

por Caitlin Johnstone [*]

A mãe de Julian Assange informou ontem que o fundador do WikiLeaks não recebeu visitantes durante sua detenção na prisão de Belmarsh, incluindo médicos e seus advogados. Médicos que visitaram Assange na Embaixada do Equador atestaram que ele precisa urgentemente de cuidados de saúde. Belmarsh é uma prisão de segurança máxima por vezes mencionada como "a Baía de Guantánamo do Reino Unido".

No entanto, pedem que acreditemos que isso tem algo a ver com uma alegada violação de fiança e um pedido de extradição dos EUA por supostos crimes informáticos com uma sentença máxima de cinco anos. Se você diminuir o zoom e escutar a tagarelice menos informada dos propagandistas abertos e dos consumidores dos media de massa ocidentais, também verificará que as pessoas acreditam que isso também tem algo a ver com a Rússia e acusações de estupro.

Na verdade, nada disso é verdade. Assange está preso sob condições draconianas por causa do jornalismo e apenas por causa do jornalismo . O governo Obama dispensou-se de processá-lo depois de a publicação de Manning no WikiLeaks ter revelado que isso colocaria em risco a liberdade de imprensa e o governo Obama não tinha mais nenhuma evidência à sua disposição do que o governo Trump tem agora. O "crime" de que Assange é acusado consiste em nada mais do que o de práticas jornalísticas padrão que os jornalistas de investigação utilizam o tempo todo , incluindo protecção de fontes e encorajar a fonte a obter mais material. A única coisa que mudou foi o aumento da disposição da Casa Branca para processar jornalistas por praticar jornalismo. E há uma abundância de razões para acreditar que ele será atingido por acusações ainda mais graves , uma vez extraditado para o território norte-americano. Eles não fazem toda esta perturbação por uma simples violação de fiança com uma sentença máxima de cinco anos.

Mas se você diminuir o zoom ainda mais, no grande esquema das coisas, isso quase não tem nada a ver com Assange. Claro, ele tem sido um espinho cravado naqueles que operam a aliança de poder transnacional ocidental. Dada a escolha eles naturalmente prefeririam que ele estivesse encarcerado ou morto do que livre e vivo. Mas não é isso que os influenciadores corruptos que estão estrangulando o nosso mundo tentam caçar. Eles estão em busca de algo muito, muito maior. Assange acaba por ser um degrau no caminho.

Como já discutido anteriormente , a acusação a Assange é realmente destinada a estabelecer um precedente legal que permitirá ao governo dos EUA prender jornalistas por tentarem responsabilizá-lo usando o jornalismo. A razão pela qual está a ler constantemente a frase "Assange não é um jornalista" dita por lacaios do império em todo o mundo é porque eles precisam de uma contra-narrativa para o facto indiscutível de que este precedente representa uma ameaça para jornalistas de todo o mundo. O argumento de que desde Assange não é um jornalista ( pura asneira , aliás) é para afirmar que isso não estabelece um precedente para jornalistas. Como se a sua definição pessoal do que é um "jornalista real" fosse aquela usada pelo governo dos EUA ao determinar se deve ou não processar outras pessoas por fazerem coisas semelhantes ao que fez Assange, ao invés de qualquer definição que atenda às agendas do governo dos EUA.

Mas a fim de obter a perspectiva realmente grande do que esses bastardos procuram é preciso diminuir ainda mais o zoom do.

No romance de ficção científica Ender's Game , o jovem protagonista dá uma surra violenta num dos valentões que o intimidavam, acabando por matá-lo. Quando perguntado por que fizera isso, o menino, que fora criado e educado para se tornar um estratega sábio, explica que fizera isso não por malícia contra o valentão, nem apenas para ganhar a luta, mas para vencer também todos os combates futuros. Se as crianças na escola vissem de que selvajaria ele era capaz e soubessem que ele não deveria ser subestimado, ele nunca teria de lutar contra elas.

Se isso lhe soa um pouco sociopático, é porque realmente é. E, com a diferença notável entre os papéis de valentão e vítima sendo invertidos, este é exactamente o princípio que estamos a ver exercido contra Assange.

O mundo inteiro observa o que está a ser feito a Assange actualmente. Não importa o quão propagandeado você seja, não importa o quanto odeie o homem pessoalmente, você vê isso acontecer e aprende uma lição. E essa lição é, nunca faça nada remotamente parecido com o que ele fez, ou se deparará com o mesmo destino. Este é o objectivo real da perseguição a Assange, e não afecta apenas um editor australiano numa cela de prisão no Reino Unido, nem mesmo os jornalistas de investigação ao redor do mundo interessados em praticar a arte perdida de manter o poder de informar usando jornalismo, mas todos no mundo que consomem a media.

Isso funciona. Sei que funciona porque funciona comigo. Direi aqui e agora: se tem informações que incrimine as pessoas mais poderosas do mundo, mantenha-as longe de mim. Dê a outra pessoa, literalmente a qualquer outra pessoa, porque sou muito covarde e tenho muito a perder envolvendo-me em qualquer coisa que possa me levar a apodrecer em alguma cela de prisão no estrangeiro. Tenho filhos. Estou apaixonado. Não posso e não vou seguir esse caminho. E se isso for verdade para mim, sei com certeza que é verdade também para inúmeros outros. Eles brutalizaram os denunciantes ao ponto de, com certeza, ter um efeito assustador sobre aqueles que de outra forma se tornariam importantes fontes de fugas, e agora estão a brutalizar também os jornalistas que publicam essas fugas. As probabilidades de alguém que quer denunciar o poder real encontrar um jornalista disposto a ajudá-lo diminuem rapidamente para zero.

Eles tentam vencer esta luta contra Assange de forma brutal a fim de garantir que vencem também todas as lutas futuras.

Por isso é absolutamente estúpido que esta conversa seja tão fixada em Assange, o homem, seja denegrido ou elogiado.

Outro dia publiquei um enorme artigo com ataques as principais calúnias a Assange que descobri. Há 27 delas no total até agora, e eu adicionarei mais em breve. Esta montanha de difamação existe porque, ao invés de prestar atenção aos perigos que acabei de esboçar, os quais ameaçam tornar impossível a oposição aos líderes do império centralizado nos EUA que marcham para nos levar à extinção ou à distopia , as pessoas estão a tagarelar acerca da personalidade de Assange, ou se ele limpou ou não o seu gato enquanto estava na embaixada.

O outro lado disto são pessoas que se fixam em Assange como um herói, o que pode, claro, ajudar a chamar a atenção para sua situação e, portanto, ser de algum benefício. Mas no final das contas isso também faz perder a floresta ao ver a árvore. Isto tudo é muito, muito maior do que o próprio Assange e precisamos nos opor por razões que são muito mais significativas do que as características individuais de um homem que, dependendo do que ouvimos, podemos ou não acreditar ser uma pessoa simpática.

Nunca perca de vista que a intimidação de denunciantes e publicadores de fugas ameaça impedir que a verdade informe o comportamento de toda a nossa espécie, deixando apenas os caprichos dos mais poderosos para decidir nosso destino. As pessoas mais poderosas são aquelas mais dedicadas à busca do poder, aquelas sociopatas o suficiente para pisar na cabeça de qualquer outro e fazer o que for preciso para garantir o máximo de controle possível sobre o maior número possível de seres humanos. É a eles que estamos a entregar a condução do nosso mundo se permitirmos que a verdade seja intimidada até ao silenciamento.

E nunca perder de vista que com a prisão e o julgamento de Julian Assange, estes opressores sociopatas revelaram-se. Eles arrancaram a máscara amistosa de Big Brother e expuseram as obscuras entidades infernais que se contorcem e zumbem por baixo. Este súbito interesse pelas tecnicalidades legais do protocolo de fiança e do protocolo de protecção da fonte jornalística parece exactamente o mesmo que processar um jornalista pela publicação de factos porque é exactamente isso que está a acontecer. Nunca permita que alguém o faça acreditar no contrário e não ouse perder esta rara oportunidade de denunciar aos seus semelhantes como os nossos opressores revelaram a sua verdadeira natureza.

22/Abril/2019

[*] Autora de Rogue Nation: Psychonautical Adventures

O original encontra-se em caitlinjohnstone.com/...


Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
01/Mai/19