O golpe estado na Venezuela

por PCV

Conferência de imprensa do PCV, 25/Jan/19. Está em desenvolvimento um golpe de estado iniciado pelo imperialismo norte-americano, os governos lacaios da América Latina e a direita servil-apátrida venezuelana, afirmou em 25 de Janeiro o secretário-geral do Comité Central do PCV, Oscar Figuera, em conferência de imprensa. Acrescentou que tentam instalar um governo títere no nosso país e gerar condições para um quadro de violência política que cause uma guerra civil, com a qual a reacção internacional justificaria uma intervenção directa.

Diante desta esta realidade, o PCV acordou:

  • Activar todas as capacidades do PCV, JCV e frentes políticas de massas para impulsionar a mais ampla aliança patriótica, democrática e popular-revolucionária, contra o golpe imperialista.

  • Continuar a impulsionar a solidariedade internacional dos Partidos Comunistas e Operários e o movimento progressista mundial, o que se vem desenvolvendo através do Departamento de Política Internacional do PCV, JCV, o COSI e as frentes políticas de massas, expressas em dezenas de acções e mensagens de solidariedade de diferentes organizações, como o Conselho Mundial da Paz, a Federação Sindical Mundial, a Federação Democrática Internacional de Mulheres, a Federação Mundial de Juventudes Democráticas, dentre outras organizações.

  • Impulsionar a mais ampla aliança patriótica, democrática e popular-revolucionária, que deve ter expressão na integração da direcção do processo venezuelano, que permita derrotar a agressão imperialista e resolver os graves problemas do nosso povo.

  • Promover um Governo de ampla aliança patriótica, democrática popular-revolucionária que golpeie os sectores aliados do imperialismo norte-americano, principalmente os monopólios, em especial o sector financeiro especulativo, que diariamente saqueiam nosso povo.

  • Desenvolver um plano de mobilização nacional e internacional de carácter amplo, que incorpore o movimento operário-camponês, comuneiro e popular, civis e militares, crentes e não crentes unidos em defesa da pátria.

  • Exigimos do governo nacional, regional e municipal que exerça sua autoridade para neutralizar as máfias da especulação e da corrupção que actuam impunemente, acções necessárias para recuperar o poder aquisitivo do salário e o acesso a bens e serviços básicos.

  • Apoiar a solicitação de uma reunião imediata do GPPSB [Grande Pólo Patriótico Simon Bolivar] com o Presidente Nicolás Maduro Moros e, ao mesmo tempo, insistir numa bilateral com o chefe de estado onde se coloquem as propostas do PCV, que permite a saída revolucionária à crise capitalista.

  • Perante a agressão imperialista, o PCV, a JCV e as frentes políticas de massas impulsionarão a mais ampla unidade patriótica, democrática, popular-revolucionária para derrotar o golpe de estado em desenvolvimento.

  • Exprimimos nossa solidariedade com as e os venezuelanos que a nível mundial sofrem actos de xenofobia impulsionados pelos Governos de direita, particularmente no Equador. Condenamos esta política ao serviço do imperialismo norte-americano que procura alcançar seus objectivos de dominação, dividindo, desagregando e confrontando nossos povos.

  • O PCV apoia a decisão do governo de romper as relações diplomáticas e consulares com governo dos EUA.
¡CONTRA O GOLPE IMPERIALISTA!
¡UNIDOS EM DEFESA DA PÁTRIA!

O original encontra-se em www.resumenlatinoamericano.org/...

Este documento encontra-se em http://resistir.info/ .
27/Jan/19